APP Cemig Atende

Baixe na App Store

Baixe na Play Store

Clique aqui Clique aqui

Operação PCH Rio de Pedras – 09/01/2022

.Atualização de informações sobre a operação da PCH Rio de Pedras, no Rio das Velhas.

A Cemig esclarece que a Pequena Central Rio de Pedras (PCH) localizada no Rio das Velhas, em Itabirito, desde a noite de sexta-feira (07/01/2022) tem recebido um grande volume de chuva.

As vazões defluentes na PCH Rio de Pedras estiveram em elevação durante todo o sábado, atingindo um pico de 300 m³/s por volta de 20h, quando o reservatório também atingiu 100% de sua capacidade de armazenamento. As vazões estão em queda desde o início da última madrugada, atingindo 240 m³/s às 11:00 de domingo, 09/01. O acompanhamento em pontos de monitoramento à montante do reservatório indica uma tendência de estabilidade das vazões afluentes ao reservatório pelas próximas horas. Há previsão de grande volume de chuva para domingo e segunda-feira, que podem ocasionar novo aumento de vazões na PCH Rio de Pedras.

A PCH Rio de Pedras possui um reservatório considerado como fio d’água, ou seja, não é capaz de regularizar vazões e as vazões defluentes (liberadas) são sempre do mesmo patamar das vazões afluentes (recebidas).

Vale a observação de que a PCH Rio de Pedras libera suas vazões no Rio das Velhas, mas logo após a usina o Rio das Velhas recebe contribuição significativa do afluente Rio Itabirito (não controlado pela usina), que apresenta elevadas vazões. No trecho do Rio das Velhas após a usina, percorrendo os municípios de Rio Acima, Raposos, Nova Lima e Sabará, ainda há a contribuição de diversos outros rios (do Peixe, Ribeirão Macacos, Ribeirão Cambimba, Córrego Cortesia e Ribeirão do Cardoso, conforme link), que agravam a condição de inundação ao longo do Rio das Velhas.

A distância entre a PCH Rio de Pedras e as cidades após a usina significa que a área total que drena as chuvas para estas cidades é muito superior do que a área que produz água para o reservatório. A título de exemplo, ao considerar a área de captação de chuvas (área de drenagem da bacia), a estação de monitoramento de Raposos (50 km de distância ao longo do Rio das Velhas) possui uma área total de 1.450 km². Ao comparar com a área de captação do reservatório, o valor cai para 38% do valor em Raposos (564 km²). Ou seja, a produção de água a partir de eventos chuvosos é muito maior para o trecho entre a barragem de Rio de Pedras e a Raposos do que o reservatório consegue produzir sozinho.

A Cemig mantém contato permanente junto à Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais e Coordenadorias Municipais de Proteção e Defesa Civil de forma a atualizar as condições de operação da PCH Rio de Pedras.

Atualizado em 09/01/2022 12:15.