APP Cemig Atende

Baixe na App Store

Baixe na Play Store

Clique aqui Clique aqui

Cemig desenvolve projeto de P&D para simulação do modelo de negócios da distribuidora

.Iniciativa permitirá melhor avaliação de alocação de recursos da Cemig-D

O conhecimento quantitativo do modelo de negócio de uma distribuidora de energia – analisando associações entre diversas variáveis financeiras, técnicas, socioeconômicas e geográficas – permite a tomada de decisões com vista à melhoria do processo de distribuição e da qualidade do serviço prestado aos consumidores. Pensando nisso, a Cemig desenvolve um projeto que visa produzir um sistema computacional para simulações do modelo de negócio da Cemig Distribuição (Cemig-D), utilizando modelos de equações estruturais, matrizes de correlação, modelos de regressão e modelos de machine learning. Trata-se do projeto “Modelagem estatístico-computacional do modelo de negócio da Cemig-D utilizando bases de dados e conhecimento técnico“.

O projeto – cooperado com o Departamento de Engenharia de Produção (DEP) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – é desenvolvido dentro do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Na Cemig, a iniciativa é conduzida pelo gerente de projeto Sérgio Henrique Rodrigues Ribeiro e o engenheiro Iguatinan Monteiro. O projeto irá criar um modelo matemático e computacional que caracterizará o comportamento da empresa sob diferentes cenários e permitirá a avaliação, via simulação, de sua alocação de recursos.

É o que explica o prof. Dr. Marcelo Azevedo Costa, coordenador do projeto. Segundo o especialista, já é possível apresentar resultados do P&D – que foi iniciado no ano de 2018, com previsão de conclusão no próximo mês de agosto. “Alguns resultados são considerados inovadores, como os modelos de equações estruturais para os indicadores de sustentabilidade econômico-financeiro das empresas brasileiras de distribuição de energia elétrica e de equações estruturais com estimação Bayesiana para os indicadores de sustentabilidade dessas empresas”, comenta.

Contribuições relevantes

Também são considerados resultados já visíveis o desenvolvimento de modelo de equações estruturais para o indicador de Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC) dos conjuntos elétricos da Cemig-D; bem como o modelo de equações estruturais com estimação Bayesiana e o modelo híbrido multicamadas desse mesmo indicador da companhia.

Outras contribuições relevantes já apresentadas pelo projeto são o modelo estatístico-computacional regionalizado para a análise e simulação do indicador de DEC – permitindo identificar as principais variáveis, regiões e seus impactos nos valores anuais do DEC dos conjuntos elétricos da Cemig-D; bem como o modelo estatístico-computacional regionalizado para a análise e simulação das receitas anuais da distribuidora, que permite identificar as principais variáveis, regiões e seus impactos nas receitas da distribuidora.

“Também podemos destacar o modelo de regressão espacial univariado para a estimação de conjuntos elétricos homogêneos, com relação aos impactos das variáveis associadas ao DEC. A mesma metodologia vem sendo aplicada para a base de dados das compensações financeiras e das receitas da Cemig-D. Também encontra-se em finalização a versão beta da ferramenta computacional que será disponibilizada como pacote para o software R”, completa Sérgio Henrique.

O projeto tem um custo total da ordem de R$ 2,32 milhões. A Cemig contribuiu com 52% desse valor, por meio de recursos do programa de P&D regulado pela ANEEL.

Marcas Cemig