Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal

Monitoramentos 

Monitoramento sedimentológico

A Cemig opera estações fluviossedimentométricas com o objetivo de monitorar o aporte e deposição de sedimentos nos reservatórios, visando quantificar e caracterizar os sedimentos trazidos pelos rios em alguns locais de interesse, estimar a vida útil dos reservatórios existentes e dos aproveitamentos futuros, atender as condicionantes ambientais para liberação de Licença de Operação –LO, alertar os órgãos competentes sobre a degradação da bacia hidrográfica, subsidiar as ações dos Comitês de Bacias Hidrográficas e ao mesmo tempo atender à Resolução Conjunta ANA/ANEEL nº 3, de 10 de agosto de 2010.

 Este monitoramento conta atualmente com estações localizadas em diferentes bacias hidrográficas, que operam em regime detalhado de onde são realizadas frequentemente as medições de descarga sólida através da coleta de amostras de sedimento e medições de descargas sólidas. Para a medição do transporte de sedimentos nas estações de monitoramento, Nesta tarefa a Cemig utiliza técnicas de amostragem que permitem, a partir de sua análise, o cálculo do volume transportado. Para isso, são feitas coletas ao longo do ano, de forma mais concentrada na estação chuvosa, uma vez que os maiores volumes de sedimentos são transportados pelas maiores vazões.

As amostras coletadas são encaminhadas ao laboratório sedimentométrico para análise. Os estudos realizados caracterizam o sedimento quanto à granulometria e concentração. As informações obtidas subsidiam estudos hidrossedimentológicos que avaliam a vida útil dos reservatórios, os impactos nas comunidades ribeirinhas e nas vidas aquáticas, os locais com maior deposição de sedimentos, além de orientar as ações dos Comitês de Bacias Hidrográficas quanto à degradação da bacia.

 O monitoramento de sedimentos na Cemig é feito atualmente em 86 estações localizadas nas imediações de cada uma das suas Usinas Hidrelétricas (UHEs) e das suas Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs).

 Para minimizar as alterações negativas causadas pela degradação e o assoreamento dos reservatórios da Cemig, são destinados cerca de R$1.650 mil reais por ano na operação das estações de monitoramento sedimentométrico. Desta forma, a Empresa, consciente de suas responsabilidades, assume um papel significativo e estratégico na sustentabilidade do uso do recurso hídrico,  além de prover informações importantes para a gestão das bacias hidrográficas onde atua.

 

Monitoramento hidrometeorológico


Equipamento de monitoramento​
 
 
Equipamento de monitoramento

A Cemig iniciou a operação da rede  hidrometeorológica com o propósito de  avaliar o potencial  hidrelétrico  de  Minas Gerais. Devido ao crescente desenvolvimento do setor elétrico, foi necessário garantir a operação da rede para assegurar a geração de séries hidrológicas confiáveis, melhorando o planejamento da expansão do setor, além de assegurar a energia firme. 

Atualmente, a Cemig opera uma rede hidrometeorológica com 583 pontos de monitoramento, sendo 232 de chuvas, 224 de vazões nos cursos d’água, 74 de acompanhamento dos níveis dos reservatórios e dos rios,  e 53 estações climatológicas, que monitoram chuvas, temperatura, umidade do ar, velocidade e direção do vento, radiação solar e pressão atmosférica. Estas estações estão distribuídas em locais estratégicos nos estados de Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Santa Catarina, e seus dados são recebidos em tempo real na sede da Empresa em Belo Horizonte. 


 Conheça as estações de monitoramento hidrometeorológico

Fale com a Cemig : ligue 116 | Fora do Estado de Minas Gerais: 0800 721 0116   |   Deficientes auditivos: 0800 723 8007

Copyright Cemig - Todos os direitos reservados